Anuncie connosco
Pub
Opinião
João Alexandre – Músico e Autor
João Alexandre
Músico e Autor

A opinião sobre o mundo da Música

The war on drugs – Um conhecimento mais profundo

4 de setembro de 2017
Partilhar

Foi no passado dia 25 de Agosto que os War on Drugs lançaram o seu 4º álbum de originais. “A deeper understanding”, o primeiro pela etiqueta Atlantic, pertencente à gigante Warner, diferente da experiência dos três álbuns anteriores, na independente Secretlly Canadian.
No entanto esta mudança de editora não acarretou para a banda, do incontornável líder Adam Granduciel, voz, guitarra e composições e dos companheiros, o baixista Dave Hartley, o teclista Robbie Bennett, o baterista Charlie Hall e os multi instrumentistas Jon Natchez e Anthony LaMarca. qualquer compromisso ou cedência artística dos “War on Drugs” num contrato previsto para a edição de dois discos (nem o perfil obsessivo e controlador de Granduciel o permitiria).
Desde logo o terreno foi marcado por Granduciel com o 1º tema gravado, “Thinking of a place”, dos 10 que compõem o álbum. Uma canção com mais de 11 minutos e um álbum de 10 temas com mais de uma hora, contra todos os cânones e regras do que é a música pop, por mais indie que se apresente.
Com mais camadas de teclados e sintetizadores etéreos que nunca, Adam Granduciel continua a escrever grandes canções recheadas de longos solos de guitarra stratocaster, telecaster, jazzmaster e les paul que só a ele toleramos. A surpresa pode ser-nos dada por um xilofone ou um saxofone distorcido, mas aquela reverberação enorme está lá, tal como as guitarras cintilantes sobre paisagens de densa atmosfera, que os teclados dos anos 80 conferem à música dos War on Drugs.
Tudo mais perfecionista e controlado por Granduciel pois mais de metade dos instrumentos foram gravados por ele próprio, tal não impediu que pedisse à sua banda que o acompanhasse nas longas sessões de gravação em estúdio. Sempre com luz reduzida como revelado pela pobre foto de capa, eventualmente para “um conhecimento mais aprofundado”, tradução direta do título do álbum, do carismático músico de 38 anos, natural de Dover, no Massachusetts – EUA.
“Holding on”, “Knocked down” e “Pain”, são igualmente temas destaque e promocionais deste “A deeper understanding”, onde se continuam a reconhecer, como no anterior, trabalho “Lost in dream”, Bob Dylan, Bruce Springsteen, Tom Petty e até os Dire Straits, uma América de confrontos e conflitos nas relações interpessoais, os falhanços amorosos, a solidão e a procura de algo que nunca se encontra. São clichés, mas Granduciel, sem ser um portentoso poeta, é convincente na forma como trata as temáticas. O instrumental, convenhamos, muito o ajuda.
Nos próximos três meses uma digressão com cerca de 50 datas levará os War on Drugs pela América e a muitas cidades europeias, sem que esteja para já prevista qualquer atuação em Portugal.
Agarrem-se pois ao disco novo “A deeper understanding”.
No final do ano cá estaremos para o incluir no que de melhor se fez em 2017 e, por certo, não estaremos sós!

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter