Anuncie connosco
Pub
Opinião
João Alexandre – Músico e Autor
João Alexandre
Músico e Autor

Ninho de Cucos

Local Natives - “Violet Street”

7 de maio de 2019
Partilhar

Os Local Natives são um quinteto californiano oriundo de Silver Lake, arredores de Los Angeles.

A banda, formada em 2005 é composta atualmente por Ryan Hahn na guitarra, Taylor Rice na voz e guitarra, Kelcey Ayer nas teclas, Matt Frazier na bateria e Nick Ewing no baixo.

O primeiro momento de grande “buzz” à volta dos Local Natives surgiu com a edição do álbum estreia “Gorilla Manor”, em 2009, recheado de ritmos tribais frenéticos e harmonias em falsete, captando muitos fãs mundo fora com os seus espetáculos enérgicos e de um post punk colorido e incisivo mas sobretudo na cena indie alternativa de Los Angeles onde são venerados.

“Hummingbird”, o álbum que se segue em 2013, é bem mais atmosférico e introspetivo e por isso menos efusivo que o trabalho anterior o que não quer dizer que a banda tenha abandonado o seu lado quase afro de elementos percussivos e múltiplas harmonias. Com “Hummingbird” os Local Natives chegam aos tops, muito à custa do single “Breakers” (a verdade é que a banda já namorava o mainstream desde a sua estreia e o hiato longo não os favoreceu propriamente).

“Sunlit youth”, o 3º álbum dos Local Natives editado em 2016, é por sua vez, o momento da banda incorporar sintetizadores e piscar o olho ao funk, r&b e ao synth pop, perdendo talvez um pouco do seu lado mais orgânico.

Os Local Natives têm em “Violet Street”, o seu 4º álbum de originais acabado de ser lançado na semana passada e motivo deste artigo, o equilíbrio que faltava no disco anterior.

Apresentado pela própria banda como um “trabalho que divaga sobre o caos e os diferentes portos de abrigo”, “Violet Street” foi produzido por Shawn Everett (Alabama Shakes, The War On Drugs) e mostra uns Local Natives renovados, entre deliciosas harmonias vocais e sintetizadores, sem nunca esquecer o cruzamento de indie rock

com a eletrónica que agora tão bem os passa a caracterizar.

“When Am I Gonna Lose You” e “Café Amarillo” são dois dos singles já divulgados de Violet Street, canções em que a banda de Los Angeles se mantém fiel à sua herança sonora, muitas vezes orquestrado de forma majestosa, mas não perdendo de vista melodias soft e bem mais intimistas. Esta aparente contradição espalhada por todo o disco, expressa-se perfeitamente nos dois temas referidos. Mais imponente o primeiro e bem mais suave mas não menos belo, o segundo.

Ambos os temas têm vídeo oficial, merecendo especial menção o vídeo de “When Am I Gonna Lose You”, que conta com a participação especial da atriz Kate Mara.

“Violet Street” mostra-nos um grupo consistente, marcado por dez anos de existência e uma produção refinada. O quinteto resgata elementos marcantes de sua estreia, como harmonias vocais hipnotizantes, explorando elementos isolados pontuados sobre uma base rítmica constante como palmas, sintetizadores e uma guitarra tocada com emoção mas sem comprometimento com a técnica.

Para fãs de Wild Beasts, Yeasayer, The Shins e Foals e … de boa música!

A seguir em www.facebook.com/localnatives

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter