Anuncie connosco
Pub
Opinião
Convidados –
Convidados

Unidade de Saúde Pública Loures Odivelas

Rastreio do Cancro do Colo do Útero

8 de abril de 2019
Partilhar

O que é o cancro do colo do útero?

O cancro do colo do útero é uma lesão tumoral que se forma quando existe o crescimento anormal ou descontrolado de células da parte inferior e mais estreita do útero.

É um dos 10 cancros mais frequentes em Portugal, com cerca de 650 novos casos por ano, provocando a morte a 250 mulheres.

 

Posso prevenir o cancro do colo do útero?

Existem duas formas de prevenção do cancro do colo do útero: a vacinação contra o Vírus do Papiloma Humano feita através do Programa Nacional de Vacinação às raparigas com 10 anos de idade; e o rastreio nas mulheres com idades entre os 30 e os 65 anos. A vacina contra o Vírus do Papiloma Humano (HPV) ajuda a proteger contra a maior parte dos vírus que provocam este tipo de cancro mas não proporciona proteção contra todos os tipos de HPV ou contra infeções por HPV existentes no momento da vacinação, pelo que o rastreio é essencial para detetar e tratar precocemente alterações do colo do útero e é a melhor forma de evitar o cancro do colo do útero.

 

O que é o rastreio do cancro do colo do útero?

Consiste na realização de um teste de pesquisa do HPV e de alterações das células do colo do útero. A recolha das células para análise é realizada através de um método semelhante ao que acontece com o tradicional teste de “Papanicolau” (colpocitologia). O teste é indolor para a maioria das mulheres. O objetivo deste teste é detetar alterações das células, numa fase em que as pessoas ainda não apresentam sintomas, evitando a evolução dessas alterações para lesões ou doenças graves.

 

Quem deve fazer o rastreio do cancro do colo do útero?

Todas as mulheres com idades compreendidas entre os 30 e os 65 anos, que não tenham contraindicações, serão contactadas pelo médico de família para realizarem o rastreio. Se o resultado do teste for negativo, deverá ser repetido ao fim de 5 anos.

No caso do resultado ser positivo, será referenciada para uma consulta no hospital da área do seu centro de saúde, onde será realizado um exame mais pormenorizado. Um resultado do teste positivo não significa que tenha cancro; outras infeções podem resultar num teste positivo. O cancro do colo do útero, quando detetado em fase inicial, é habitualmente curável.

O rastreio regular é a melhor forma de detetar e tratar precocemente alterações do colo do útero.

 

Podem existir alterações, mesmo sem sintomas?

Sim, podem. Nas fases iniciais, o cancro do colo do útero habitualmente não tem sintomas. O teste de rastreio utilizado permite detetar alterações numa fase inicial, antes de dar sintomas, sendo nesses casos o tratamento mais eficaz. Sintomas como hemorragias durante a atividade sexual ou fora do período menstrual e/ou dor pélvica podem ter várias causas. Nestas situações deve aconselhar-se com o seu médico.

 

Fui vacinada contra o HPV. Preciso fazer o rastreio?

A vacinação não substitui o rastreio do cancro do colo do útero. A vacina não proporciona proteção contra todos os tipos de HPV ou contra infeções por HPV existentes no momento da vacinação, sendo o rastreio essencial para detetar e tratar precocemente alterações do colo do útero.

A consulta e o teste de rastreio realizados no seu centro de saúde são totalmente gratuitos (não paga taxa moderadora).

Autores:

Clarisse Martinho, David Lopes e Hugo Esteves

Médicos da Unidade de Saúde Pública do Agrupamento de Centros de Saúde Loures-Odivelas

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter