Anuncie connosco
Pub
Opinião
Ricardo Andrade – Comissário de Bordo
Ricardo Andrade
Comissário de Bordo

A opinião de Ricardo Andrade

Loures, Autárquicas 2017

10 de outubro de 2017
Partilhar

Entrámos em Outubro e desta feita com um acto eleitoral que mobilizou milhões de portugueses. A Eleições Autárquicas mexeram com o nosso país durante meses e agora que os resultados já são conhecidos, caberá a quem foi eleito pela população retribuir a confiança em si depositada para os próximos quatro anos.

Em Loures, como no país, surgem agora não apenas as reacções às eleições, mas também várias análises acerca dos resultados da votação do passado domingo dia 1 de Outubro. Da minha parte não poderia deixar de partilhar alguns pensamentos sobre a temática das Eleições Autárquicas de 2017 no nosso Concelho. Assim sendo, aqui vão algumas opiniões/análises quanto aos resultados eleitorais para os órgãos municipais no Concelho de Loures:
1. A tendência de perda de Câmaras de CDU para o PS não se verificou e a “marca PS” não chegou para disfarçar uma candidata pouco conhecida e derrotar Bernardino Soares e o PCP.
2. O trabalho de quatro anos de Bernardino Soares e do PCP não foi o suficiente para aumentar a votação de um Presidente de Câmara em primeiro mandato.
3. O caminho seguido durante quatro anos pelo PCP levou à perda de um Vereador na Câmara Municipal.
4. O desempenho do PS na oposição na Câmara Municipal de Loures não culminou com uma vitória eleitoral para o órgão executivo do município.
5. O comportamento do PCP na Assembleia Municipal de Loures, durante o passado mandato, não se reflectiu numa retumbante vitória, mas sim numa derrota para o PS por poucos pontos nesse órgão.
6. O Bloco de Esquerda e a sua estratégia de “diabolização” das opiniões de um candidato (André Ventura) não bastou para conseguir, finalmente, eleger um vereador num município muitas vezes rotulado como sendo de esquerda, apesar de, sejamos justos, ter conseguido uma ligeira subida em percentagem e em votantes.
7. O CDS/PP não obteve vantagem eleitoral significativa com a alteração da sua estratégia inicial (culminando com uma ruptura com o PSD) e com uma marcação quase “homem a homem” ao candidato do PSD, André Ventura, descendo até ligeiramente a sua votação.
8. O PSD, através do seu candidato André Ventura, conseguiu marcar o debate político local e nacional colocando Loures “no mapa”.
9. O PSD (em coligação com o PPM) consegue subir mais de 5500 votos para a Câmara Municipal, que significam 5,5% e a eleição de mais um Vereador.
10. O PSD sobe quase 4000 votos para a Assembleia Municipal, que resultam numa subida de quase 3,5% e mais um mandato.
11. O PCTP/MRPP sai da Assembleia Municipal de Loures.
12. O PAN consegue a sua primeira presença autárquica no Concelho através de uma votação de cerca de 3%.
E poderá agora o leitor perguntar o que resultará de tudo isto?
Apenas posso responder: “Veremos! Veremos!”

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter