Anuncie connosco
Pub
Opinião
Gonçalo Oliveira – Actor
Gonçalo Oliveira
Actor

P'la caneta afora

Loures recebeu mais um Fórum Permanente de Teatro

1 de outubro de 2016
Partilhar

Vamos começar pelo princípio: O que é um Fórum? FÓRUM, na antiguidade clássica, para gregos e romanos, a “ágora” ou praça principal da cidade, o centro político, religioso, económico e social; para a Federação Portuguesa de Teatro, espaço principal de encontro das gentes do teatro. PERMANENTE, porque constante, contínuo, duradouro, fixo, incessante, marcado, perpétuo, no tempo e nos objectivos. TEATRO, do grego theaomai, olhar com atenção, perceber, contemplar; theaomai não significa ver no sentido comum, mas sim ter uma experiência intensa, envolvente, meditativa, inquiridora, a fim de descobrir o significado mais profundo; uma cuidadosa e deliberada visão que interpreta seu objecto. O Fórum Permanente de Teatro está de regresso!

O que é a Federação Portuguesa de Teatro? A Federação Portuguesa de T eatro é uma pessoa coletiva constituída sob a forma de associação sem fins lucrativos, que se rege pelos seus Estatutos e Regulamentos e, subsidiariamente, pelas disposições do regime jurídico das associações do direito privado. Tem por finalidade defender, valorizar e promover o teatro, especialmente o das suas associadas, nas suas diversas vertentes e estéticas, através da criação e organização de espaços e meios para formação, informação e análise; da promoção de intercâmbios culturais e da troca de experiências; da circulação de espectáculos e captação de novos públicos para o teatro e da edição e divulgação de publicações culturais, procurando também, contribuir para a definição de políticas culturais e de estabelecimento de parcerias.

No cumprimento da sua missão, são várias as iniciativas que a Federação Portuguesa de Teatro desenvolve nas áreas atrás descritas, às quais se vêm juntando diversos organismos nacionais, como a Fundação Inatel e o Município da Póvoa de Lanhoso, parceiros na organização do Concurso Nacional de Teatro), a Escola Superior de Teatro e Cinema, com a qual a Federação Portuguesa de Teatro estabeleceu um parceria para distribuição de textos para teatro às suas associadas, bem como os diversos municípios portugueses apoiantes das várias edições do Fórum Permanente de Teatro e de outras iniciativas de divulgação, intercâmbio e estímulo tea- tral.

As iniciativas desenvolvidas pela Federação Portuguesa de Teatro contam ainda com o reconhecimento e apoio de diversas figuras incontornáveis do teatro profissio- nal português, que com a mesma colaboram na dinamização de diversas actividades, contribuindo, junto com os parceiros atrás descritos, para o preenchimento de lacunas há muito sentidas no tecido associativo, para o alcance de uma maior visibilidade do movimento teatral em Portugal e para o desenvolvimento de uma consciência colectiva do valor do teatro associativo.

Em pouco tempo, a notoriedade dos projectos e iniciativas que a Federação Portuguesa de Teatro desenvolve estendeu-se ao país vizinho, resultando na assinatura de um acordo de cooperação bilateral entre Portugal e Espanha, através da Confederación de Teatro Amateur Escenamateur (atualmente com cerca de 500 estruturas de teatro associadas), para o intercâmbio e circulação de espectáculos entre ambos os países, a deslocação de formadores a Espanha e a participação em eventos formativos organizados por cada uma das Federações.

Os acordos de cooperação estabelecidos com Espanha permitem à Federação Portuguesa de Teatro expandir a sua actividade e operar numa ampla rede de parcerias, desenvolvendo um conjunto de iniciativas que projectam o teatro e cultura portuguesas a um nível que muito nos orgulha.

No entanto, esta é uma missão que a Federação Portuguesa de Teatro entende estar sempre em crescimento, pelo que desenvolve um permanente esforço na busca de novas parcerias, nas mais diversas áreas de actividade, no sentido de ampliar a sua base de trabalho A Federação Portuguesa de Teatro em parceria com o TIL - Teatro Independente de Loures, com o apoio da Câmara Municipal de Loures, da Junta de Freguesia de Loures e do SIMAR (Serviços Intermunicipalizados de Loures e Odivelas), contando adicionalmente com um total de 18 patrocínios empresariais, voltou a organizar um fim-de-semana intensivo de formação e espectáculos de teatro, sob a forma do XVII Fórum Permanente de Teatro, nos dias 23 a 25 de setembro de 2016.

O Fórum Permanente de Teatro é a actividade maior da Federação Portuguesa de Teatro. É neste espaço que a Direção da Federação promove a formação teatral, modera a organização de festivais e mostras de teatro das suas associadas e congéneres, promove o debate de ideias, o levantamento e actualização permanente da realidade do movimento teatral e realiza, em simultâneo, as Assembleias Gerais.

O evento ocorre com periodici- dade semestral, nos meses de Janeiro e Setembro, assumindo- se, simultaneamente, como um momento de homenagem à dra- maturgia nacional, abordando, em cada edição a figura e a obra de um dramaturgo português de reconhecido mérito. No âmbito deste XVII Fórum, a organiza- ção prestou tributo à dramaturgia nacional, homenageando a vida e obra do escritor Jaime Salazar Sampaio, autor igualmente muito celebrado pelo TIL.

Um dos momentos altos do evento foi a homenagem da organi- zação à dramaturgia nacional, nos textos de Jaime Salazar Sampaio, que teve lugar na manhã de dia 24, no decorrer da Cerimónia de Abertura do Fórum, no Cine-Teatro dos Bombeiros Voluntários de Loures, com a presença de Sebastiana Fadda que, entre nós, publicou nas Edições Cosmos "O Teatro do Absurdo em Portugal" com prefácio de Luiz Francisco Rebello.

12 horas de formação contemplaram cinco grandes áreas ligadas à actividade teatral: Formação de Atores; Encenação e Dramaturgia; Técnicas de Palco ligadas ao espectáculo; Técnicas de Construção Cenográfica; Técnicas de Manipulação e Construção de Marionetas. Este ano surgiu também uma formação de Artes Circenses. Todas as formações tiveram lugar no Pavilhão Paz e Amizade, na Academia dos Saberes, no Refeitório Municipal e no Cine- Teatro dos Bombeiros Voluntários de Loures.

No Cine-Teatro assistiu-se com entrada livre, aos espectáculos "Pessoa", de Jorge Chichorro Rodrigues, pelo Teatro Passagem de Nível (TPN), vencedor do Prémio "Ruy de Carvalho" para Melhor Espectáculo do Concurso Nacional de Teatro de Póvoa de Lanhoso e "Histórias para Serem Contadas" de Osvaldo Dragún, pelo grupo que acolhe a iniciativa TIL – Teatro Independente de Loures.

No último dia de forma- ção, teve lugar o Espectáculo de Encerramento, com os exercícios finais dos painéis de formação a partir da obra "A Inauguração da Estátua" do autor homenageado. O projecto do Fórum Permanente de Teatro de Amadores surgiu em 2007, no seio da ANTA – Associação Nacional de Teatro de Amadores (antecessora da Federação Portuguesa de Teatro), com o objectivo de criar uma dinâmica de partilha de experiências e intercâmbio entre companhias de teatro de amadores.

Este projeto percorreu grande parte do território nacional começando por Esmoriz, seguindo-se Vila Nova de Foz Côa, Lagos, Santa Maria da Feira, Póvoa do Lanhoso, Ansião, Tondela, Aviz, Guimarães, Loures, Setúbal, Fafe, Sardoal, Mortágua, Amadora, Figueira da Foz e Montemor-o-Novo. E assim o Teatro continua vivo e de boa saúde! Resta-nos esperar pelo OE que aí vem! Este colunista escreve em concordância com o antigo acordo ortográfico.

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter