Anuncie connosco
Pub
Opinião
Filipe Esménio – Director
Filipe Esménio
Director

Mel de Cicuta

Em casa onde não há pão todos ralham e ninguém tem razão…

5 de julho de 2020
Partilhar

Falar a sério do COVID-19 é difícil. São poucos os que percebem, são muitos os que falam. Na verdade, a coisa é feita de avanços e recuos e a política vai-se fazendo de retórica bacoca, impreparada, e com todos os agentes políticos preocupados em tirar dividendos do momento que vivemos. Loures está no epicentro do terramoto, no top 3, com o alto patrocínio do Sr. Presidente da Républica, que escolhe a música para um baile para o qual fui convidado, mas onde não me apetece ir. Prefiro ficar por aqui, junto ao bar a ouvir outras histórias.

São já 75 edições do NL Notícias de Loures, o segundo maior jornal regional português, segundo julgo saber, continuando sempre a fazer serviço público, sem apoio público, um «Karma» que se repete em muitos jornais e ou empresas que não são pró ou contra o regime. É a vida…

Parabéns a nós.

Um obrigado gigante para quem nos levou à televisão, de bom grado e de coração, sabendo que somos de Loures e por Loures. Obrigado Vítor, obrigado João.

O momento obriga a várias reflexões, queremos ou não salvar vidas, queremos ou não morrer da cura, matando as empresas e, por consequência, os empregos. Podemos ou não sair à rua, devemos ou não ter cuidados extra. Devemos lavar as mãos, devemos usar máscara, devemos manter as distâncias sociais, é inequívoco, mas temos de sair à rua, de apanhar ar e sol, de fazer a nossa vida, com cuidado, mas sem medo.

A cultura do medo serve a alguns mas não serve a uma sociedade livre, não serve a quem quer construir, e não destruir, o que de bom a sociedade ocidental tem.

Estamos todos em teste, em alerta geral, e estes momentos ciclicamente levam a guerras, à destruição do adquirido. Depende de nós dizer “presente” neste momento diferente, depende de nós saudar a liberdade e vivê-la de forma responsável e consciente.

Eu por cá vou lavando as mãos e usando a máscara, mas nos meus colegas de bar, a 2 metros, vou ouvindo as histórias mais divertidas para me elevar a alma sabendo, de antemão, que em casa onde não há pão todos ralham e ninguém tem razão.

PS: Este artigo é estupidamente escrito com o novo acordo ortográfico.

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter