Anuncie connosco
Pub
Opinião
Convidados –
Convidados

Joana Roubaud - Farmacêutica

Libertação modificada – o que é?

9 de julho de 2018
Partilhar

Certamente já terá dado conta que alguns medicamentos possuem siglas na embalagem como: LP, LM, XR ou designações como “retard”, “libertação modificada”, “libertação prolongada”, “comprimido revestido”, “comprimido gastrorresistente” ou ainda “orodispersível”.

Um verdadeiro mundo de “dizeres” cujo significado não será mais do que, na melhor das hipóteses, uma ideia vaga para a maioria dos consumidores.

Interpretar estas designações e perceber a sua influência na forma como o medicamento atua poderá ser importante no seu dia a dia. 

A maioria dos comprimidos e cápsulas que temos à disposição são de “libertação imediata”. Quer isto dizer que ao serem tomados, soltam a substância ativa de uma só vez, proporcionando um início de efeito relativamente rápido. Pode-se dizer que este é o “modus operandi” convencional e não lhe é atribuída nenhuma sigla.

Contudo em alguns medicamentos é útil alterar a forma como a substância ativa é libertada e absorvida, com o intuito de melhorar a adesão do doente ao tratamento e/ou proporcionar um efeito mais adaptado. Quando isto acontece temos medicamentos de Libertação Modificada (LM).

Essas modificações podem ser: libertar a substância ativa gradualmente e ao longo do tempo (Libertação Prolongada, retard ou XR de Extended Release) usada por exemplo em ansiolíticos para um efeito durante todo o dia e com menos efeitos adversos; mascarar o odor e/ou sabor desagradável do medicamento ou protegê-lo da ação da luz (formas Revestidas); proporcionar um efeito ainda mais rápido e sem necessidade de tomar com água (formas Orodispersíveis) como nalguns anti-histamínicos, antidiarreicos ou em medicamentos para a disfunção erétil; e por fim, libertar a substância ativa apenas no intestino protegendo assim o estômago (Gastrorresistentes), como acontece com alguns anti-inflamatórios.

É precisamente por cumprirem este tipo de funções que, regra geral, não é aconselhado partir comprimidos de Libertação Modificada ou estará a perder a vantagem que lhes foi conferida. Fale com o seu médico sempre que precisar de fazer ajustes de dose nos seus comprimidos.

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter