Anuncie connosco
Pub
Opinião
Pedro Cabeça – Advogado
Pedro Cabeça
Advogado

Opinião de Pedro Cabeça

Abril ao acaso

4 de abril de 2017
Partilhar

Abril é (pelo menos para mim) o mês do eterno retorno, o mês em que faço balanços, é um mês de Cravos, de renovação, de revolução, é um mês de emoções. É o mês em que devia comemorar o aniversário do meu Pai, o mês em que comemoro o meu próprio aniversário e o aniversário de uma revolução que mudou definitivamente Portugal, é por isso um mês, por muito que o mundo sofra abalos imagináveis, de desenterrar convicções inspiradas em emoções e esperanças.
Este será um Abril ainda mais especial em que será, certamente, relembrado o poder local democrático, a sua importância e aquele esquecimento, tristemente insistente deste poder agora instalado, da importância das Assembleias na consolidação da democracia e não basta dizer que não é esquecido porque até existiu, no passado mês de Março, um alegado debate (com o domínio do partido dominante) sobre o poder deliberativo, em que o colectivo da própria Assembleia Municipal de Loures foi praticamente esquecido. Mas quanto ao resto será reclamado, com laivos de intolerância, um monopólio de cravos.
Abril, esse Abril de sonhos e palavras repetidas em pianhas indiferentes e acções opostas.
Este ano é com um sorriso que apreciarei a lembrança da liberdade em praças de esperança, porque este será certamente um ano de afirmações e realizações.
Pois palavras e mais palavras, é o que me ocorre neste mês de Abril. É verdade que neste mês de Abril se comemora o Dia Mundial da Actividade Física, mas tal como o Município também eu ignoro tal data, com a diferença que a minha ignorância é apenas a minha ignorância, enquanto para um Município se exige um pouco mais (embora se espere pouco deste fim de ciclo).
Sem sair da actividade física é preciso recordar que a GESLOURES, empresa municipal, comemora 25 anos de existência. Um projecto sólido que é uma referência para além das fronteiras do município, a qualidade dos seus trabalhadores permitiu sempre ultrapassar os momentos difíceis que este projecto passou ao longo dos anos (a mais antiga empresa municipal do pais). E no âmbito dessas comemorações, em forma de agradecimento a todos os trabalhadores, deixo aqui uma singela referência a quem foi timoneiro e um suporte fundamental na criação e manutenção da Gesloures, o seu antigo Director Técnico António Vasconcelos Raposo.

Este é, concordo inteiramente, um texto ao acaso que não o é por acaso, como dizia Voltaire “aquilo a que chamamos acaso não é, não pode deixar de ser, senão a causa ignorada de um efeito conhecido”.
Viva o 25 de Abril
Viva O Poder Local Democrático
Viva Loures.

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter