Anuncie connosco
Pub
Opinião
Patrícia Duarte e Silva – Psicóloga Clínica
Patrícia Duarte e Silva
Psicóloga Clínica

Patrícia Duarte e Silva

À beira de um ataque de nervos?

30 de novembro de 2017
Partilhar

Enquanto pais, quais são as situações em que é mais difícil manter o controlo do vosso comportamento/emoções?

Enumere para si, quais são as características da situação em causa, quem são as pessoas envolvidas e qual é a forma habitual de descontrolo.

Tente compreender com base nestes três factores, as razões pelas quais se descontrola, e em que momento da situação se torna mais difícil manter o auto-controlo.

Os sentimentos mais comuns após momentos de descontrolo são a culpa, o arrependimento, a ansiedade e a impossibilidade de se fazer cumprir certos castigos que se verbalizaram no momento do descontrolo.

Quais os efeitos do descontrolo dos adultos nas crianças?

Recorde os comportamentos típicos do seu filho quando este se descontrola, e pense até que ponto coincidem com o do pai ou da mãe.

Será que o seu filho está a reproduzir/modelar o descontrolo dos pais?

Auto-controlo

O que é o auto-controlo? É a capacidade de nos controlarmos em situações de conflito/desacordo/tensão, de maneira a pensar antes de agir ou de falar.

Alguns exemplos de técnicas de auto-controlo:

- Tente perceber em si os sinais de descontrolo;

- Use mensagens como “eu sinto-me...”, nas quais exprime o que sente;

- Evite pensamentos extremos ou definitivos, de maneira a evitar afirmações/acções relativamente às quais se possa vir a arrepender.

Uma vez na situação de descontrolo, experimente algumas estratégias para se acalmar:

- Respire fundo;

- Conte até 10 (ou até 1000!) em silêncio, enquanto pensa no que vai dizer a seguir;

- Saia por momentos de perto do/a seu/sua filho/a, e partilhe com ele/a esta necessidade de se acalmar;

- Peça ao outro progenitor que, se possível, o/a substitua na situação;

- Evite entrar em lutas de poder (ver quem ganha ou quem perde);

-Tente pensar num castigo (se for necessário) que seja exequível e viável no quotidiano da família;

- Desculpe-se mais tarde, por se ter descontrolado.

Os sentimentos de zanga/irritação são importantes e necessários. O que efectivamente fazemos para lidar com esses sentimentos é que poderá não ser o mais adequado ou benéfico para nós e para as pessoas com quem nos relacionamos.

O descontrolo deve ser a excepção, nunca a regra.

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter