Anuncie connosco
Pub
Notícias | Social

Intervenção Social

Uma aposta na diferença

6 de agosto de 2016
Partilhar

Reza a lenda que o Rugby surge de uma jogada irregular de futebol, em Inglaterra, quando um jogador agarra a bola com as mãos e corre para a linha de fundo do adversário. Lenda ou realidade, o que não pode ser negado é que a bola oval cativa multidões um pouco por todo o mundo. Em São João da Talha são já cerca de 50, os atletas que suam a camisola por este desporto, sustentado em princípios básicos como espírito de equipa, solidariedade, lealdade e desportivismo. Criada em 2011, a Escolinha de Rugby de S. João da Talha é um projeto da Associação de Pais e Encarregados de Educação da EB1/JI de Vale Figueira, com o apoio da Freguesia de Santa Iria de Azóia, São João da Talha e Bobadela e empenho de um casal residente na localidade, Elisabete Machado e Hugo Cardoso. "A ERSJT (Escolinha de Rugby de São João da Talha) tem acima de tudo um papel social. O nosso projeto tem como missão apoiar a integração social, através do rugby, de crianças oriundas de um meio social vulnerável. Tem também como objetivos proporcionar igualdade de oportunidades, permitir que as crianças de meios socioeconómicos desfavorecidos se relacionem com outras crianças, incentivar o gosto pela aprendizagem, combatendo o insucesso escolar, assim como, envolver as famílias nos interesses dos seus educandos e atribuir-lhes um papel mais ativo na sociedade ", explicam Elisabete Machado e Hugo Cardoso.

Da ideia ao projeto

"Quando o nosso filho mais velho ingressou na escola, pela primeira vez, tivemos um contacto mais próximo com a realidade escolar e apercebemo-nos da existência de uma comunidade fragilizada. Ao lado da escola, existia um polidesportivo com pouca utilização e pensámos que seria um local ideal para desenvolver uma atividade desportiva, fundamental na formação e educação de crianças e jovens. Apelando ao espírito de luta com que costumamos enfrentar os desafios e uma vez que na nossa freguesia não existia oferta desportiva gratuita, decidimos criar este projeto", acrescentam. A Freguesia de Santa Iria de Azóia, São João da Talha e Bobadela prima por um variado leque de ofertas culturais e desportivas destinadas às classes mais jovens mas, de facto, nem sempre acessíveis a todos os estratos socioeconómicos. Da ginástica ao futebol, entre outras modalidades, todas elas requerem o pagamento de uma mensalidade. É neste aspeto que a Escolinha de Rugby marca a diferença. Com idades compreendidas entre os 5 e os 17 anos, os cerca de 50 atletas que dão vida ao projeto têm a oportunidade de interagir e praticar desporto de forma gratuita, assim como usufruir de outros cuidados. "Avaliamos as condições físicas dos atletas da escolinha, fazendo rastreios auditivos, de saúde oral e oftalmológica, vigiamos peso, índice de massa corporal, tensão arterial, estatura, vacinação e tentamos também combater algumas carências através de reforço alimentar, distribuído após cada treino e convívio", indicam os nossos interlocutores.

Apoios financeiros

A missão desta "escolinha" é louvável. Mas, nem tudo são rosas e marcar pontos fora das quatro linhas tem-se mostrado uma tarefa mais complicada que dentro do campo. "Cativar apoios financeiros tem sido muito complicado. Sem dúvida que o apoio da Câmara Municipal de Loures, desde o ano passado, através do programa "Mais Formação", bem como o apoio em transportes, desde 2014, têm sido fulcrais para a sobrevivência do nosso projeto. A cedência do campo onde treinamos pela Freguesia tem também sido um importante apoio, assim como a ajuda de alguns pais", refere Elisabete Machado. Como projeto social comporta, contudo, outras despesas difíceis de contornar. "Planear e concretizar uma época desportiva tem custos elevados. É necessário que os jogadores façam os exames médicos obrigatórios, adquirir os equipamentos de jogo para os 50 atletas, comprar o material técnico de apoio aos treinos e deslocarmo-nos ao Banco Alimentar Contra a Fome para se poder proporcionar o reforço alimentar. Além disso, no Natal e Verão, levamos os nossos alunos a Campos de Férias, de forma a ocupar-lhes os tempos livres e dando-lhes a oportunidade de conhecer outros locais do nosso País. Acreditamos que se tivéssemos uma maior visibilidade na nossa Freguesia poderíamos conseguir mais apoios. Precisávamos de um espaço físico próprio que nos permitisse divulgar a Escolinha de Rugby, bem como outros projetos desportivos e sociais que pretendemos fazer, há já algum tempo, mas para os quais não conseguimos reunir condições quer físicas quer financeiras", indicam.

Balanço Positivo

Apesar das dificuldades financeiras, a Escolinha de Rugby de São João da Talha tem conseguido levar a cabo a sua principal missão. Meia centena de crianças pratica um desporto gratuitamente e ainda leva no pensamento ensinamentos como solidariedade, amizade e a importância da aprendizagem escolar. A nível desportivo, a bola oval tem sido também motivo de muitas alegrias."Não que os resultados desportivos sejam o principal objetivo do nosso projeto, mas os resultados desta época são motivo de enorme orgulho. Os nossos jogadores conseguiram vencer o Torneio Regional de Inverno e de Primavera de Rugby de 7 da Associação de Rugby do Sul, fomos vencedores da etapa de Lisboa do Circuito Nacional de Sevens da Série B, da 2ªEtapa do Circuito Nacional Sevens Serie B na Lousão, Vencedores do Braga Youth Rugby, do Agregar Rugby Cup, do Torneio de Beach Rugby da Figueira da Foz no escalão Sub-14 e 2º classificado também no Torneio de Beach Rugby da Figueira da Foz no escalão Sub-12, entre outros prémios. O que nos deixa ainda mais orgulhosos dos nossos jogadores é terem alcançado todos estes feitos e termos atingido uma taxa de sucesso escolar de 95%, graças ao esforço, superação, trabalho e disciplina demonstrado por cada um deles", concluem Elisabete Machado e Hugo Cardoso.

A Escolinha de Rugby está de parabéns. Venha a próxima Época...

Paula Gomes

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter