Anuncie connosco
Pub
Notícias | Social

Apoio aos Sem-Abrigo

Loures assina protocolo de cooperação com a Comunidade Vida e Paz

5 de fevereiro de 2019
Partilhar

A Câmara Municipal de Loures e a Comunidade Vida e Paz, uma instituição particular de solidariedade social de apoio a pessoas em situação de sem-abrigo ou de vulnerabilidade social, assinaram um protocolo de cooperação no dia 23 de janeiro.

A Câmara Municipal de Loures e a Comunidade Vida e Paz, uma instituição particular de solidariedade social de apoio a pessoas em situação de sem-abrigo ou de vulnerabilidade social, assinaram um protocolo de cooperação no dia 23 de janeiro.

O protocolo tem por objetivo a intervenção da Comunidade Vida e Paz no atendimento e acompanhamento social e a intervenção de rua às pessoas sem-abrigo, e ainda, a gestão e acompanhamento das pessoas integradas em unidade residencial temporária.

A assinatura do protocolo teve lugar em Santo António dos Cavaleiros, num apartamento pertencente à Câmara Municipal de Loures, e que, a partir de agora, passará a funcionar como uma unidade residencial temporária, com capacidade para duas pessoas em situação de sem-abrigo.

A ideia passa por apoiar as pessoas realojadas a readquirir competências, com vista à sua autonomização e equilíbrio social, em que a unidade residencial apenas funcionará como um espaço de transição.

A Comunidade Vida e Paz ficará responsável pelo atendimento e acompanhamento social, bem como pela intervenção de rua às pessoas em situação de sem-abrigo, e ainda, pela gestão e acompanhamento das pessoas integradas na unidade residencial temporária.

A Câmara de Loures, além da disponibilização da unidade residencial, compromete-se a prestar apoio financeiro anual no montante de dez mil euros.

“As instituições têm todas uma missão muito particular que lhes dá identidade. Mas há sempre algo que nos une: esta necessidade de contribuirmos para o bem comum e de tornarmos o mundo um local melhor”, referiu, na ocasião, Horácio Félix, presidente da direção da Comunidade Vida e Paz.

“É esta vontade de melhorarmos a vida destas pessoas, que por circunstâncias várias estão a passar por dificuldades, que nos leva a assinar este protocolo e a associarmo-nos a este desafio que a Câmara Municipal de Loures nos fez e que nós abraçamos com muito agrado e gratidão”.

O presidente da Câmara Municipal de Loures, reforçou o facto de a Autarquia estar “sensível à realidade das pessoas sem-abrigo do nosso concelho” e que “apesar de não ser um número muito significativo, tendo em conta o que existe em outros concelhos, não deixa de ser um conjunto de pessoas que precisamos ajudar a reintegrar na sociedade e a ter uma vida normal”, disse Bernardino Soares.

“Temos vindo a trabalhar com outras entidades e instituições para prevenirmos as causas que levam a esta situação, que são várias e diversificadas, mas entendemos que o trabalho que tínhamos até aqui, sendo válido, era insuficiente, e precisávamos de dar um passo mais adiante no apoio a esta população.”

“Propor esta parceria com a Comunidade Vida e Paz é um instrumento essencial, não só porque tem uma enorme experiência nesta área, mas porque faz o seu trabalho sempre com uma perspetiva de evolução, ajudando as pessoas a evoluir para outra situação”, mencionou Bernardino Soares.

Estiveram presentes na cerimónia de assinatura do protocolo, o vereador com o pelouro da coesão social, Gonçalo Caroço, bem como os vereadores Ivone Gonçalves e João Calado, e a presidente da União das Freguesias de Santo António dos Cavaleiros e Frielas, Glória Trindade.

 

Os sem-abrigo em Loures

 

A problemática dos sem-abrigo foi identificada pela primeira vez no Diagnóstico Social de 2014 e considerada como uma área de intervenção prioritária, inscrita em Plano de Desenvolvimento Social nos anos de 2015/2016.

Encontram-se atualmente em acompanhamento cerca de 40 pessoas em situação de sem-abrigo, das quais quatro são mulheres. Todas estas pessoas são acompanhadas por um técnico gestor de referência. A maioria dos indivíduos acompanhados situa-se na faixa etária entre os 40 e os 55 anos, sendo que seis utentes têm mais de 65 anos.

As localidades com maior número de pessoas sem-abrigo são a freguesia de Loures e a localidade de Moscavide, sendo os locais de pernoita mais utilizados: construções abandonadas e degradadas, automóveis, tendas, anexos, barracas de apoio às hortas, entre outros.

As problemáticas dominantes, para além do desemprego, são o alcoolismo, a doença mental, ainda que muitos não tenham um diagnóstico, e o consumo de substâncias ilícitas.

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter