Anuncie connosco
Pub
Opinião
Pedro Cabeça – Advogado
Pedro Cabeça
Advogado

A opinião de Pedro Cabeça

Em Abril indiscutíveis vitórias!?

9 de abril de 2018
Partilhar

No mês de Abril a democracia revela a sua força em Loures, as oposições saem da sombra e revelam a sua musculatura, conseguindo impor visões de oposição, com alguma cedência do executivo que gere a Autarquia.

Por muito que se pudesse argumentar, duvidas não existem, neste momento, que a oposição fez ceder (despertar?) o executivo, o qual teve de encarar a actual realidade de uma governação minoritária sem coligações vodka/laranja ou geringonças, tal como afirmámos, desde que foram conhecidos os resultados das eleições autárquicas, a governação não iria ser nada fácil considerando a opção de governação minoritária.

Era previsível esta situação, era previsível que seriam necessários compromissos, cedências, e bom senso, a verdade é que o primeiro teste da actual governação autárquica para impor sem negociação a prestação de contas do SIMAR acabou por fracassar, mérito ou simples braço de ferro, a verdade é que a oposição disse presente e mostrou um cartão amarelo ao executivo, que teve de ceder onde talvez não esperasse.

Falta saber se o executivo levou aquele orçamento porque entendeu ingenuamente que não teria dificuldades em o aprovar por ser um bom orçamento, porque pensava que o mesmo estava negociado em conjunto com o orçamento da câmara, ou simplesmente porque queria mostrar a sua força. E falta saber se a oposição fez este finca pé de forma consciente.

Certo é que os tarifários dos SIMAR, já aprovados, acabam por ser revistos, bem como os investimentos que decorrem da queda de receita do tarifário agora acordado.

Agora temos de saber se a indiscutível “vitória” da oposição produz os efeitos desejados, até porque não sabemos, até ao momento, que investimentos caem (e qual o impacto futuro desta queda) bem como ainda faltará o parecer final da ERSAR sobre os novos Tarifários negociados.

Assim não podemos, ainda, peremptoriamente afirmar que esta batalha chegou ao fim com indiscutível vitória da Oposição.

E assim chegamos a Abril e vemos pequenos rasgos do que é a democracia que, como dizia Churchill, “ … é a pior forma de governo, à excepção de todas as outras que têm sido tentadas de quando em vez".

O presente artigo de opinião foi escrito de forma dolorosa sem a pressão, e habitual compreensão, do Pedro Santos Pereira, que, por motivos ponderosos, nos privou da sua lúcida, responsável e acutilante companhia. E por diversas vezes pensei na sevilhana “Algo se muere en el alma, cuando un amigo se va” - Algo morre na alma quando parte um amigo, é um vazio que deixa uma marca que nunca se apaga. Um poço sem fundo que jamais se enche.

Até Sempre caríssimo Director, Até sempre Pedro.

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter