Anuncie connosco
Pub
Opinião
Patrícia Duarte e Silva – Psicóloga Clínica
Patrícia Duarte e Silva
Psicóloga Clínica

A crónica da psicóloga clínica Patrícia Duarte e Silva

Worklover ou Workaholic?

11 de outubro de 2017
Partilhar

Já alguma vez parou para pensar qual é a sua relação com o trabalho?
Workaholic é uma expressão americana que teve origem na palavra alcoholic (alcoólico). Designa uma pessoa viciada, não em álcool, mas em trabalho.

Sempre existiram pessoas viciadas no trabalho, mas nesta última década, fatores como a alta competitividade, ganância, necessidade de sobrevivência ou ainda alguma necessidade pessoal de provar algo a alguém ou a si mesmo, fizeram com esses números aumentassem.
Um workaholic é uma pessoa que dá prioridade ao trabalho acima de todas as outras coisas, entre elas, família, vida social, lazer e até mesmo da própria saúde, sendo motivado essencialmente pelas conquistas e realizações profissionais.


O workaholic possui características como:

• O uso de listas e aplicativos para aproveitar o máximo de tempo da melhor forma possível;

• Não ter um horário de trabalho certo, trabalhando horas a mais. Usa o tempo de almoço para trabalhar;

• Hábitos de sono muito superficiais. Particularidades como dormir pouco e insónias;

• Durante o tempo de lazer não consegue estar parado, tendo sempre de estar a fazer alguma actividade;

• O telemóvel está sempre presente, mesmo durante refeições em família ou férias;

• Trabalha em qualquer lugar, avião, férias, carro, etc.

Se possui algumas das características acima mencionadas, talvez seja altura de parar e pensar que chegou a altura de se pôr a si e aos seus em primeiro lugar.

O worklover possui características como:

• Gosta do que faz e é dedicado ao seu trabalho, a fim de alcançar os resultados esperados e desejados;

• Está consciente do significado do seu trabalho e do seu papel face a este;

• Tenta conciliar o trabalho e vida pessoal de uma forma equilibrada e coerente.

O que conclui?

Manter o trabalho no seu devido lugar, sem exceder limites e acabar prejudicando outras áreas da nossa vida é sempre um desafio, mas torna-se fundamental a procura de um equilíbrio saudável.

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter