Anuncie connosco
Pub
Notícias | Social

Na Quinta da Fonte

Pastoral dos Ciganos da Apelação “é a Casa de Todos”

11 de outubro de 2017
Partilhar

O Centro de Atividades de Tempos Livres (CATL), da Obra Nacional da Pastoral do Ciganos, instalado na Quinta da Fonte, é um caso de sucesso no que toca à integração e reconciliação da população, num bairro que luta todos dias contra os fantasmas do passado. “Nesta casa de todos” crianças, essencialmente ciganas e africanas, encontram os sorrisos que, não raras vezes, o mundo lá fora faz desaparecer.
A prioridade da instituição é trabalhar para a integração do povo cigano. Mas até na hora de integrar é preciso não descriminar. Por isso, este centro da Pastoral dos Ciganos trabalha também com população não cigana, pretendendo ser a ‘Casa de Todos’, explica ao Noticias de Loures (NL) a sua coordenadora, Aida Massano, realçando que têm sempre presente a filosofia das “Portas Abertas”, para que as famílias possam trazer os seus problemas.
No início trabalharam de maneira informal, enquanto não tinham a sede à sua disposição. Anos depois os resultados falam por si. De acordo com a responsável, atualmente trabalham com 60 crianças do 1º e 2º ciclo, dão apoio do Banco Alimentar Contra a Fome a 60 famílias locais, disponibilizam um psicólogo para dar assistência às crianças e à população, entre vários outros apoios disponibilizados à população da Quinta da Fonte.
Tudo isto, num bairro com pessoas que vivem situações de carências económicas graves. Esta IPSS conta com o apoio da Segurança Social e das famílias, que pouco como nada conseguem pagar, devido às dificuldades que passam. «Nós temos o apoio da Segurança Social e a outra parte é suportada pelos pais. Normalmente as IPSS têm mensalidades razoáveis, mas aqui a mensalidade é de 10 euros, porque há pais no desemprego e muitos com rendimentos muito baixos», conta Aida Massano, ao NL.
A responsável reforça que enfrentam sempre dificuldades porque “ recebe o mesmo dinheiro da Segurança Social que outros centros, onde os pais podem pagar muito mais”. No entanto, a coordenadora adianta que estão na Quinta da Fonte para durar. ”Estamos aqui para os que precisam de nós”, continua.
A contribuição dada pelo CATL à população já lhe valeram duas distinções feitas pelo Município do Loures, que Aida Massano afirma terem sido “uma enorme satisfação” para os que trabalham diariamente nesta instituição.
Em 2016, aquando da condecoração atribuída à instituição, a Câmara Municipal de Loures, liderada por Bernardino Soares, realçava «a enorme entrega, dedicação e altruísmo que os membros da Pastoral dos Ciganos têm dado à comunidade, no valioso e vigoroso trabalho de articulação entre as várias associações, o Município, e a União das Freguesias de Camarate, Unhos e Apelação».
No entanto, mesmo quando tudo aponta para um bairro diferente, a velha imagem da Quinta da Fonte ainda persegue o renovado bairro. Este “muro” continua a ser porventura um dos maiores desafios a enfrentar pela Quinta da Fonte. Para Aida Massano «a realidade não é aquilo que a Comunicação Social pintou», crítica, esperando que também mostrem o lado positivo do Bairro.
Conforme a coordenadora do CATL avançou ao NL, uma boa oportunidade para se mostrar o lado bom da Quinta da Fonte acontece já no fim-de-semana de 7 e 8 de outubro, com realização da 10ª edição da Festa da Nossa Senhora da Fonte, evento que reúne toda a população e que contará com a participação de grupos locais e de outras parte do país.

Denizio Boaventura

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter