Anuncie connosco
Pub
Notícias | Saúde

ACES de Loures - Odivelas

Obesidade infantil – a batalha do século!

11 de março de 2017
Partilhar

A obesidade infantil é um dos mais graves problemas do século XXI. Trata-se de um problema global e cuja prevalência tem aumentado a um ritmo alarmante. Segundo a Comissão Europeia, Portugal é um dos países da europa com maior número de crianças afetadas por esta epidemia, em que 1 em cada 3 crianças (33,3%) entre os 2 e 12 anos tem excesso de peso ou é obesa.1 Mais de 90% das crianças portuguesas consome fast-food, doces e bebe refrigerantes, pelo menos quatro vezes por semana.2 A obesidade deixa sempre marcas e todos devemos ajudar a combater este “mal”!

O que contribui para a obesidade infantil?

A principal causa da obesidade infantil é a existência de um desequilíbrio energético entre as calorias consumidas e aquelas que são gastas. Desta forma, a obesidade é atribuível a vários fatores, principalmente aqueles relacionados com a alimentação e a prática de exercício físico. Nos últimos anos temos assistido a uma mudança global na dieta da nossa população, com um aumento da ingestão de alimentos processados com elevado teor energético que são ricos em gorduras e açúcares, mas baixos em vitaminas, minerais e outros micronutrientes saudáveis. Simultaneamente, tem-se verificado uma diminuição dos níveis de atividade física devido a um aumento das actividades sedentárias. Estima-se que em Portugal uma criança passe, em média, 4 horas/dia a ver televisão durante a semana e 7 horas/dia durante o fim-de-semana.2
Contudo, é importante destacar que a obesidade infantil não está apenas associada ao comportamento das crianças, mas também a fatores genéticos e relacionados com a gravidez e aos hábitos de sono da criança.
Ao contrário da maioria dos adultos, as crianças não podem escolher o ambiente onde vivem ou a comida que comem e elas têm uma capacidade limitada de perceber as consequências a longo prazo do seu comportamento. Por isso, cabe aos pais a responsabilidade pela saúde dos seus filhos! É comum as pessoas não se preocuparem com o excesso de peso em crianças pequenas e muitos acreditam que uma criança gordinha é mais saudável.

A obesidade é um risco para a saúde das crianças?

As crianças obesas sofrem consequências na sua saúde quer a curto, quer a longo prazo. De acordo com a Organização Mundial de Saúde a obesidade é a segunda principal causa de morte no mundo que se pode prevenir. As crianças obesas tendem a manter-se obesas na idade adulta e têm uma maior probabilidade de desenvolver doenças como diabetes, doença cardiovascular, doenças músculo-esqueléticas e certos tipos de cancro, numa idade mais precoce do que o que seria expectável. Tanto a idade de início como a duração da obesidade influenciam o risco de vir a desenvolver todas estas patologias.

E como podemos inverter esta situação?

O segredo está na prevenção! A obesidade e as doenças que dela advêm podem ser largamente prevenidas, pelo que se torna fundamental corrigir as causas da obesidade. Seguir uma alimentação saudável e praticar exercício físico são dois passos fundamentais para evitar todos estes problemas.

Tome nota de alguns dos cuidados que deve ter:

1. Começar sempre o dia com um pequeno-almoço equilibrado e saudável com fruta, cereais (papas de aveia ou pão fresco) e leite ou derivados.
2. Fazer cerca de 5 a 6 refeições por dia.
3. Comer pelo menos 3 peças de fruta por dia.
4. Iniciar sempre o almoço e o jantar com um prato de sopa de legumes e/ou hortaliças.
5. Evitar o consumo de produtos açucarados e com muita gordura como bolos, doces, rebuçados e gomas, chocolates, batatas fritas, pizzas, cachorros e refrigerantes.
6. Reduzir a quantidade de sal e privilegiar o uso de ervas aromáticas e especiarias para o tempero.
7. Beber diariamente pelo menos 1,5 L de água. A desidratação pode levar a sintomas como irritabilidade, cansaço, falta de concentração e mau desempenho escolar.

Aliada a uma alimentação saudável deve sempre existir uma prática regular de atividade física. As crianças devem praticar exercício físico pelo menos 1 hora por dia e não devem passar mais de 2 horas por dia a ver televisão ou a jogar computador, consola ou tablet.


Não sabe por onde começar? Damos-lhe algumas dicas…

Levar uma merenda feita em casa para o lanche é uma boa opção, pois assim temos um maior controlo sobre aquilo que as nossas crianças comem na escola. Experimente uma destas merendas saudáveis!

- 1 iogurte líquido/sólido natural + ½ pão mistura com manteiga + 1 banana
- 1 garrafa de água + ½ pão de cereais + 1 fatia de queijo + 1 pêra
- 1 pacotinho de leite meio-gordo simples + ½ pão de centeio + 1 fatia de queijo + 1 maçã

A prevenção é essencial! Uma criança obesa pode tornar-se num adolescente obeso que por sua vez se pode tornar num adulto obeso, com inúmeras complicações associadas ao excesso de peso. Combater a obesidade infantil hoje é o primeiro passo para existirem crianças, adolescentes e adultos saudáveis amanhã!

Precisamos de crianças mais ativas! Passe mais tempo com o seu filho, brinque e divirta-se!

 

Bibliografia: 

1 Estudo 2013-2014 da Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil (APCOI)
2 Dados do Sistema Europeu de Vigilância Nutricional Infantil (COSI) elaborado pela OMS e pelo INSA.
3 www.plataformacontraaobesidade.dgs.pt
4 www.who.int


Unidade de Saúde Pública do ACES Loures/Odivelas
Elvira Martins, médica de Saúde Pública,
Ana Carlota Moutinho, médica;
Catarina Alves, médica;
Pedro Jesus, médico

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter