Anuncie connosco
Pub
Notícias | Saúde

Reciclagem

O que fazer com o óleo queimado?

10 de março de 2020
Partilhar

Enquadramento

Após utilizados, os óleos de fritura empregues na confeção de alimentos, são designados de óleos alimentares usados, tratando-se de um resíduo à semelhança do vidro, papel ou plástico que já hoje podemos separar nas nossas casas e colocá-los nos respetivos pontos de recolha (ecopontos) para posterior valorização.

 

Problemática

Quando não damos o correto encaminhamento ao óleo alimentar usado, libertando-o no esgoto, em meios aquáticos (lagos, rios, mar, etc.) ou no solo, potenciamos a contaminação das águas, a poluição do solo, o entupimento de canalizações domésticas e coletores municipais e graves complicações nas Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR’s).

Devido à diferença de densidade, o óleo e a água não se solubilizam, isto é, não se misturam. Deste modo, quando libertado em meios aquáticos o óleo forma uma película impermeável na superfície da água que impede a sua oxigenação e dificulta a penetração de luz solar, despoletando a degradação da biodiversidade aquática.

Por outro lado, quando diretamente libertado no solo ou quando remetido para o contentor de resíduos urbanos para posterior encaminhamento para aterro sanitário, contribui-se para a ocorrência de alagamentos e cheias, devido à impermeabilização do solo pelo óleo depositado.

Porém, quando libertado no solo, parte deste, devido à água da chuva (por lixiviação) acaba por terminar num curso de água superficial ou num reservatório/aquífero. Além destes nefastos efeitos ambientais, decorrente do processo de decomposição, o óleo alimentar liberta gás metano, que para além do subsequente mau cheiro, agrava o efeito de estufa.

Quando descartamos o óleo usado no esgoto da nossa casa, este adere às canalizações, retendo resíduos sólidos, obstruindo a passagem de água, promovendo assim a ocorrência de entupimentos e consequentes alagamentos quer no interior das residências, quer nas ruas em virtude do transbordamento do esgoto.

Ao nível das ETAR’s os óleos alimentares usados dificultam e encarecem até 45% o tratamento da água, diminuindo a eficiência do tratamento biológico.

 

Sabia que

Segundo a Direção Geral da Saúde, apenas um litro de óleo é suficiente para contaminar 1 milhão de litros de água, ou seja, o equivalente a meia piscina olímpica e infelizmente, cerca de 60 por cento dos óleos alimentares usados, acabam por ir parar às redes de esgotos.

Considerando que a produção estimada de óleos alimentares usados em Portugal é da ordem de 43 mil a 65 mil toneladas por ano (Decreto-Lei n.º 267/2009 de 29 de setembro) e que de acordo com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) a quantidade de óleo colocado no mercado tem vindo a aumentar, o risco ambiental decorrente da sua incorreta gestão é alarmante, tornando-se premente a nossa consciencialização e responsabilização no sentido de dar correto encaminhamento ao mesmo.

 

Reciclagem

A reciclagem do óleo alimentar usado é muito simples e acessível, estando ao poder de qualquer um de nós o realizar nas nossas casas.

 

Fins

Posteriormente, o óleo alimentar usado pode ter diferentes fins industriais, nomeadamente ser utilizado para produção de biodiesel, sabão, velas, tintas e glicerina podendo ainda ser utilizado para a geração de energia elétrica através da sua queima.

O fim tendencial do óleo alimentar usado é o biodiesel, que se trata de um combustível automóvel com índices de emissão de dióxido de carbono consideravelmente mais baixos, podendo chegar a ser 80% inferiores aos emitidos por um veículo que consuma gasóleo.

Este processo de transformação apresenta um rendimento de cerca de 80%, ou seja, 1 litro de óleo pode resultar em, aproximadamente, 800 ml de biodiesel.

Deste modo, a reciclagem de um resíduo que produz efeitos nefastos para o ambiente, como é o óleo alimentar usado, mostra-se um procedimento simples e ao alcance de ser implementado por cada um de nós, por forma a contribuirmos para um propósito comum e indispensável, que é a proteção e prevenção da degradação do meio ambiente.

 

Locais

Procure informar-se sobre a localização dos oleões mais perto de si, dirija-se à sua Junta de Freguesia, à Câmara Municipal de Loures ou aceda ao panfleto online disponível em: www.cm-loures.pt.

Poderá também encontrar oleões em grandes superfícies comerciais e hipermercados, esteja atento.

 

Unidade de Saúde Pública (USP) Loures – Odivelas

Sofia Coelho – Estagiária da Licenciatura de Saúde Ambiental

Cátia Rodrigues – Técnica de Saúde Ambiente

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter