Anuncie connosco
Pub
Notícias | Política

Alguns factos e curiosidades sobre 41 anos de Poder Autárquico

Hora de escolher

5 de setembro de 2017
Partilhar

Dia 1 de outubro chega o momento decisivo de escolher os destinos do Concelho. Alternativas para as mais diversas orientações, numas eleições que nunca foram tão mediatizadas pela comunicação social nacional.

O NL, nesta edição, dará a conhecer as principais propostas dos candidatos ao Município. Mas antes de aí chegarmos, damos-lhe a conhecer alguns dados históricos destas eleições, no período que sucedeu o 25 de Abril de 1974. Um Concelho onde apenas um partido e uma coligação atingiram a vitória e que, em 41 anos, apenas conheceu cinco presidentes eleitos como cabeças-de-lista, em 11 escrutínios.
Porque conhecer a História faz-nos decidir melhor sobre o futuro.

 

Dados sobre os resultados


- Severiano é o grande vencedor das eleições autárquicas em Loures, para o Município, alcançando o tetra, 1979, 1982, 1985 e 1989, seguido de Carlos Teixeira, que conseguiu o tri, 2001, 2005 e 2009, não se podendo candidatar às eleições de 2013, por ter atingido o número limite de mandatos.
- Demétrio Alves foi o presidente eleito com a menor taxa de votação, 34.54%, em 1993.
- O presidente eleito, com maior taxa de votação, foi Carlos Teixeira, em 2009, alcançando a maioria absoluta com 48.18%.
- Bernardino Soares, atual presidente, foi eleito com a segunda menor percentagem de votação.
- O único presidente eleito a perder umas eleições foi Riço Calado. Adão Barata também perdeu, mas não tinha sido eleito presidente, passando a ocupar esse lugar durante o mandato, após saída de Demétrio Alves. Tal como José Augusto Gouveia, que tinha sido nomeado presidente da Comissão Administrativa em 1974 e perdeu as eleições de 1976 como cabeça-de-lista da FEPU, que antecedeu a APU e a CDU.
- A única maioria da CDU, por Severiano Falcão, deu-se em 1985, quando o PSD não apresentou lista ao Município, apoiando o socialista Vítor Ramalho.
- Severiano Falcão e Carlos Teixeira foram, sem dúvida, os presidentes mais populares, nunca sendo batidos nos resultados pelos três presidentes restantes, Riço Calado, Demétrio Alves e Bernardino Soares.

 

Alterações geográficas


- Desde 1974, Loures tem sido um concelho de mudanças geográficas. Alterações que visaram a redução de um Município que chegou a ser o segundo do País com mais população. Depois do território que hoje corresponde ao concelho de Odivelas, mais recentemente, foi retirada parte das freguesias de Moscavide e Sacavém, que passou a fazer parte da freguesia do Parque das Nações e do concelho de Lisboa.
- Bernardino Soares é, até ao momento, o único autarca comunista que venceu umas eleições em Loures sem o território de Odivelas.
- Riço Calado foi o único presidente socialista que liderou Loures, ainda com o território de Odivelas.
- Com o concelho de Odivelas a fazer parte integrante do município de Loures, apenas Severiano Falcão ultrapassou os 60 mil votos, algo que atingiu por duas vezes, 64 709 em 1982 e 66 509 em 1985.
- Sem Odivelas, os grandes resultados são de Carlos Teixeira, que ultrapassou os 40 mil votos (43 365) em 2009 e nunca tendo baixado dos 30 mil, 32 605 foi a pior votação que obteve. Para realçar estes dados, é importante referir que Bernardino Soares venceu com 28 572 votos.
- Desde 2001, o PSD tem vindo sempre a descer a sua percentagem de votação, passando dos 19.31% de 2001, para 16.00 em 2013, assim como de 17 003 votantes (2001), para 13 164 (2013).
- Em situação parecida está o Bloco de Esquerda, só que a queda tem sido desde 2005, onde obteve 4 414 (4.97%) votos, tendo em 2013 apenas 2 594 (3.15%).
- O CDS é um caso diferente, pois alterna uma subida com uma descida, tendo no entanto recuperado o péssimo resultado de 2005 (1.63%) em 2009 (3.83%), mas voltando a descer em 2013 (3.07%),mesmo assim bastante superior a 2005.

 

Abstenção


- Nas últimas eleições autárquicas, em 2013, registou-se a maior taxa de abstenção, 50.54%
- Só Severiano Falcão, por três vezes (1979, 1982 e 1985), conseguiu ter uma percentagem de votos superior à abstenção

 

Curiosidades


- De 1976 até 1985 as eleições autárquicas realizavam-se de três em três anos
- A variação de vereadores do partido mais votado tem oscilado entre os seis, nas maiorias absolutas de 1985 (Severiano Falcão) e 2009 (Carlos Teixeira) e cinco, nas maiorias relativas restantes, à exceção de 2003, onde a CDU venceu as eleições, mas apenas elegeu quatro vereadores.
- Há quem diga que os portugueses não distinguem os três boletins de voto e aplicam a cruz no mesmo partido para os diferentes órgãos. Sabia que em Loures, em 2013, nas 10 freguesias que compõem o Concelho, em quatro delas o vencedor foi diferente na eleição para a freguesia e na da Câmara Municipal? Foram os casos de Sacavém e Prior Velho, Santo António dos Cavaleiros e Frielas e Santa Iria de Azóia, São João da Talha e Bobadela, onde foram eleitos presidentes de freguesia socialista, mas para o Município, nessas freguesias venceu a CDU. Em Moscavide e Portela, para a Assembleia de Freguesia venceu o PSD, com a Coligação “Loures Sabe Mudar” e para a Câmara o vencedor foi o Partido Socialista.

 

Pedro Santos Pereira

Última edição

Gala Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter