Anuncie connosco
Pub
Notícias | Educação

Junta de Freguesia de Moscavide e Portela

Educação em debate em Moscavide

2 de abril de 2017
Partilhar

«O ensino na freguesia de Moscavide e Portela é protegido, é de qualidade e aberto à inovação». Foi desta forma que Manuela Dias, presidente da Junta de Freguesia de Moscavide e Portela abriu as III Jornadas da Educação, que tiveram lugar no Centro Cultural de Moscavide, a 22 de Março. Sob o tema «Escola Invertida – dos Alunos aos Professores», a iniciativa contou com a presença, entre outros, de Jorge Sarmento Morais, chefe de gabinete do secretário de Estado da Educação, José Maria Lourenço, presidente da Associação Luiz Pereira Motta, Marina Simão, diretora do Agrupamento de Escolas da Portela e Moscavide e Maria Eugénia Coelho, vereadora da Educação da Câmara Municipal de Loures.
«Temos projetos nos vários níveis de ensino conhecidos dentro e fora do concelho e, em matéria de educação, a freguesia de Moscavide e Portela dá cartas na nossa região», avançou Manuela Dias.
Jorge Sarmento Morais, chefe de gabinete do secretário de Estado da Educação, defendeu, por seu turno, que «devemos orgulhar-nos das escolas que temos, porque, se olharmos para as taxas de escolarização antes do 25 de Abril, são bem visíveis os avanços». Segundo o governante, foi uma enorme conquista «o acesso à escola a todos os alunos», mas é um grande desafio «alterar os níveis de retenção dos alunos, que neste momento se situa nos 30 por cento em Portugal, face aos 13 por cento da média da OCDE».
Jorge Sarmento Morais alertou ainda para o facto de os alunos não poderem ser «meros recetores, porque gostam de participar», pelo que os professores «devem mudar a forma como se organizam na escola», centrando a sua organização «no aluno e não no professor». O responsável sustentou ainda que «há muita gente que ainda pensa que o ‘chumbar’ faz bem, o que já se provou que está errado, pois os alunos não são todos iguais».

Educação na freguesia «com desafios» mas com resultados positivos

À margem das Jornadas da Educação, Marina Simão, diretora do Agrupamento de Escolas da Portela e Moscavide adiantou ao NL que «a educação vai bem na freguesia de Moscavide e Portela, vamos tentando lançar muitos desafios e temos um plano de ação estratégico, com várias iniciativas no terreno». A responsável adiantou ainda estar a «experimentar muita coadjuvação e muitas aulas de apoio precocemente, no primeiro e terceiro anos e estamos a fazer um trabalho imediato em relação a algumas disciplinas com mais insucesso, como o inglês e a matemática».
Os resultados estão à vista, como mostra a posição nos rankings das escolas. «No nosso agrupamento, temos terreno ganho às privadas, ao contrário do que acontece noutras zonas, pelo que a maior parte dos alunos optam pela escola pública», defende.
Para Manuela Dias, presidente da Junta de Freguesia de Moscavide e Portela, as Jornadas da Educação pretenderam «proporcionar aos professores da freguesia e do concelho um momento de reflexão sobre a educação», nomeadamente sobre as novas formas de organização da escola em torno do que é realmente importante: os alunos.
«Os nossos objetivos andam sempre à volta de três eixos: o apoio às populações, a educação e o espaço público», conta Manuela Dias. «No âmbito da educação, esta é uma das muitas atividades que estavam planeadas e que estão a ser realizadas, pensando na educação, nos professores jovens, nas nossas crianças e tentando unir esforços para que tudo corra o melhor possível nas escolas da freguesia», adiciona a autarca.

André Julião

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter