Anuncie connosco
Pub
Notícias | Desporto e Lazer

Oficialmente aberta

Apolo 78 abre a época do Caracol

9 de maio de 2017
Partilhar

Muitos são aqueles que anseiam pela época do caracol. Uma iguaria que faz as delícias dos seus apreciadores, tanto mais que é sazonal, na altura do calor. Diz-se que só se devem comer nos meses sem “r”, Maio, Junho, Julho e Agosto e é nesta altura que a sua venda atinge valores muito consideráveis. Loures é terra de caracóis, quanto mais não fosse porque tem o maior festival nacional destes gastrópodes. Mas enquanto não chega julho, mês do Festival, o restaurante Apolo 78, na cidade de Loures, dá início às hostilidades. Foi o que aconteceu no passado dia 21 de abril, a partir das 17.30, onde todos os caminhos iam dar ao Apolo 78. Muitas foram as caras conhecidas do Concelho, desde a televisão à política, passando pela comunicação social, empresários ou funcionários públicos. Uma verdadeira enchente que teve diversos músicos a animar, elementos da Banda dos Bombeiros Voluntários de Loures e que serviu para dar o pontapé-de-saída de um dos petiscos mais apreciados no Concelho.
Para Vítor Almeida, gerente do restaurante Apolo 78, «o mais importante é juntar pessoas, algumas que não se vêm há algum tempo» utilizando o caracol como fator de união. De há cinco anos a esta parte que vem organizando este evento, que passou a ser um marco na Freguesia e no Concelho. «Sendo Loures a Capital do Caracol faz todo o sentido valorizar este ingrediente, numa casa que se pretende que a principal imagem de marca sejam as pessoas que nela trabalham», revelou-nos.

Os caracóis
Os caracóis fazem parte dos recursos naturais do mundo mediterrânico. Em épocas de escassez e de seca, comuns no sul, o acesso a proteína e energia era escassa e a recoleção era uma forma de contornar a situação.
É com a chegada de maio que se inicia a época do caracol. No entanto, em Portugal, a produção de caracóis é escassa. A maioria dos caracóis consumidos no nosso país é importada de Marrocos, sendo a espécie Theba Pisana, nativa do Mediterrâneo, a mais consumida em Portugal e Espanha.
Esta iguaria, à semelhança dos tremoços, é também fonte de proteínas (16g/100g), pobre em gorduras (1g/100g) e em calorias (90kcal/100g). Contém sais minerais e vitaminas, como o magnésio, o fósforo, o cobre e vitamina E, o que tornam este alimento interessante do ponto de vista nutricional.

 

Pedro Santos Pereira

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter