Anuncie connosco
Pub
Notícias | Atualidade

A elevação da povoação a vila

São João da Talha em Festa

31 de agosto de 2018
Partilhar

Num concelho onde podemos ir de A-dos-Cães até à Cabeça Alta, é curiosa a origem dos nomes das terras, cidades e vilas de Loures.

Apesar de ter sido a 1 de julho de 2003, por proposta do PCP, aprovada pela Assembleia da República a elevação da povoação a vila, esta decisão apenas constou em Diário da República dia 26 de agosto, data que marca esta celebração.

A história do local

Existe um documento do séc. XII, que assinala o povoamento de estrangeiros, referindo-se a São João da Talha com o nome de “Sacavém Extra Muros”.

Em 1258 aparece o nome de “Aldeia da Talha”. Conhece-se também outro documento de 1288, no qual consta, pela primeira vez, a assinatura do pároco de Talha e Sacavém.

Em 1299, D. Dinis ofereceu à sua filha o reguengo de “Extra-Muros” – Talha.

Em 1300, o Judeu Abraão plantou uma vinha lá para a barca de Sacavém – Talha.

Em 1357, um soberano de Inglaterra escreveu uma carta sobre um navio português preso com pessoas a bordo, sendo uma delas Pero Róis da Talha.

Em 1371, D. Fernando ofereceu Talha, Frielas e Unhos, como prenda de casamento à sua filha, D. Leonor Teles.

Em 1372, sabe-se que Gonçalo Pires tem casas junto ao poço da praia (que é Talha).

Entre 1382 e 1385, há uma revolução na qual acontece a quitação de alguns direitos e concessão de alguns privilégios por D. João I.

A 7 de Abril de 1385, D. Nuno Álvares Pereira recebeu o reguengo de Sacavém Extra Muros (Talha).

Deste modo, o nome “S. João da Talha” resultou do nome da igreja, cujo padroeiro é “São João Baptista” que se localizava num “lugar” conhecido por “Talha”. Por isso, com o aumento da população neste lugar, e para melhor situar a igreja, passou a chamar-se “São João do Lugar da Talha”. Foi este nome que apareceu no manuscrito do padre Filipe de Carvalho, no séc. XVIII. Mais tarde, o nome “São João do lugar da Talha” seria considerado demasiado longo, dando preferência a “São João da Talha”, para simplificar. É esta designação que hoje conhecemos.

O séc. XV é silencioso, não registando acontecimentos relevantes na jovem freguesia. Em 1527, Talha tinha cerca de 200 habitantes. Em 1528 nasce na freguesia o padre Jesuíta Vicente Rodrigues que se tornou um grande missionário no Brasil, onde é considerado o primeiro “Mestre–Escola”. Conhece-se um manuscrito que data de 1571, de Francisco de Holanda, pedindo ao Rei D. Sebastião para reedificar a antiga ponte romana. É ainda no século XVI que Lisboa, capital do reino, é afetada por uma peste devastadora que forçou o Rei D. Manuel e a sua corte a refugiar-se na Talha. Deste modo, a presença da família real nesta freguesia deu origem à construção da Ermida de Nossa Senhora dos Remédios, que ainda hoje existe, embora desfigurada.

Também no princípio do séc. XVII, isto é, em 1609, os representantes da Coroa fazem o mesmo: refugiam-se em Talha pela pureza das suas águas. Também aqui possuiu capela Jorge de Barros (estando mesmo sepultado na Igreja de São João Baptista), um dos irmãos do insigne humanista João de Barros.

Situada perto da margem direita do rio Tejo, a Freguesia de São João da Talha encontra-se a cerca de treze quilómetros da sede do concelho, para este-sudeste, e a onze de Lisboa.

A partir do século XIX, teve início a industrialização do sítio.

Sabe-se que em 1840, São João da Talha, pertencia ao 3º Bairro de Lisboa, onde continuou até à criação do concelho dos Olivais, em 1852, por decreto de 11 de Setembro, no qual foi integrada. No ano de 1880, São João da Talha é composta pelas seguintes aldeias: Bobadela, Coreiceira, Talha Pequena, Vale de Figueira e, obviamente, São João da Talha.

Com a criação do Concelho de Loures em 26 de Julho de 1886, foi incluída nele. A 28 de Julho de 1896 – Diário do Governo N.º 168, foi anexada à Freguesia de Santa Iria de Azóia, onde esteve integrada, até 1 de Março de 1939, para efeitos administrativos.

Século XX à actualidade

A 1 de Março 1939 foi reconstituída como Freguesia. Em 1989, em virtude do seu elevado crescimento demográfico e económico, o sítio da Bobadela tornou-se uma freguesia autónoma, separando-se assim de São João da Talha, originando um decréscimo da população.

Em 1 de Julho de 2003, por proposta do PCP, foi aprovada pela Assembleia da República a elevação da povoação a vila.

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter