Anuncie connosco
Pub
Notícias | Ambiente

“Dar o peixe ou ensinar a pescar?”

Educação Financeira e Cidadãos Financeiramente Saudáveis

5 de novembro de 2016
Partilhar

A AESS - Associação para o Desenvolvimento de uma Economia Solidária e Sustentável é uma entidade sem fins lucrativos, sedeada no concelho de Loures, que surgiu em 2013, quando as suas fundadoras deixaram a atividade de consultoria financeira que exerciam e perceberam que havia, e há, uma lacuna nos conhecimentos que a população tem sobre Educação Financeira.

Com base no provérbio “Dar o peixe ou ensinar a pescar?” consideramos, desde o primeiro dia, que mais importante que consolidar dívidas é ensinar a população a evitar o endividamento.

Inicialmente a ideia era ensinar as crianças e os jovens a terem uma relação saudável com o dinheiro. Lançámos, em 2015, dois livros que apoiam esta vertente da atividade da AESS. No entanto, com o trabalho que fomos desenvolvendo e com as solicitações que nos chegam percebemos que era importante também dar cursos para adultos. A atividade da AESS como GIP permitiu ainda perceber a importância deste tema para a população desempregada.

A AESS trata o assunto da Educação Financeira de uma forma transversal a toda a população. Os nossos workshops e programas começam com as crianças dos seis anos e não têm idade limite para terminar. Temos programas específicos para populações em risco de exclusão, pessoas com necessidades educativas especiais, seniores, famílias, empresas. O nosso lema é “Formar Cidadãos Financeiramente Saudáveis”.

A AESS promove workshops para os diferentes públicos com a duração de duas horas e tem, para esses mesmos públicos, programas completos que podem ir de seis horas (escolas) a nove horas (populações em risco de exclusão), ou ainda doze horas para públicos com necessidades educativas especiais.

Atualmente a AESS desenvolve a sua atividade em três áreas distintas: é um GIP (Gabinete de Inserção Profissional) e uma EPAT (Entidade Prestadora de Apoio Técnico) devidamente reconhecida pelo IEFP. No primeiro caso prestamos apoio à população desempregada na procura ativa de emprego e, no segundo caso, a AESS prepara e elabora os projetos de criação de próprio emprego para os desempregados que optem por essa solução, sem qualquer custo para os mesmos.

A terceira área que a AESS desenvolve é, como já referido, o projeto de Educação Financeira que tem evoluído ao longo do tempo. Nesta atividade tem sido importante desenvolver o projeto e adaptá-lo às necessidades que têm sido identificadas pelos diferentes públicos/clientes que nos têm solicitado propostas. A reação das pessoas é muito favorável às nossas intervenções, porque a maioria não faz um orçamento familiar nem planeia quando e onde quer gastar o seu dinheiro. A maioria das pessoas vive o dia a dia e faz contas ao dinheiro na hora, ficando sem capacidade de atingir os seus objetivos ou realizar os seus sonhos.

Estamos também a direcionar o nosso projeto para as empresas. As empresas estão cada vez mais atentas aos seus colaboradores e o endividamento é, sem dúvida, um dos grandes problemas com que os departamentos de Recursos Humanos se deparam. Nas empresas o maior ativo são os recursos humanos e se estes estiverem financeiramente “doentes” dificilmente a empresa será saudável e produtiva. O que queremos dizer como isto? Um colaborador que esteja financeiramente “doente” (endividado) dificilmente está a 100% na sua atividade diária. O nosso desafio tem sido que as empresas apostem na Educação Financeira para os seus colaboradores, porque “colaborador financeiramente saudável empresa mais produtiva!”.

Além disto as empresas podem ainda apoiar projetos de Educação Financeira para entidades que já identificaram as suas necessidades nesta temática, mas têm dificuldades financeiras para o implementar. Estamos a falar, por exemplo, de centros de acolhimento de jovens e entidades que trabalham com pessoas com necessidades educativas especiais, entre outras. Um exemplo de sucesso é o caso da Resiquímica, que financia pelo segundo ano consecutivo o nosso projeto no CECD Mira-Sintra. As empresas pagam uma quota anual de 25€, que pode ser abatido em IRC.

As pessoas em geral também se podem associar à AESS sendo sócios da mesma, por apenas 12€ ao ano, comprando os nossos livros (disponíveis no site www.economia-sustentavel.com), ou fazendo um donativo que será direcionado para uma entidade onde o programa venha a ser desenvolvido. Todos os apoios são publicitados e são passíveis de benefício fiscal.

A AESS tem como objetivo, num curto espaço de tempo, tornar-se a entidade referência quando se fala em Educação Financeira em Portugal. O nosso programa está concebido e é adaptável para toda a população. Fornecemos as ferramentas que cada formando, independentemente do público em que está inserido, necessita para gerir o seu dinheiro e ser um “Cidadão Financeiramente Saudável”.

Dulce Forte
Cofundadora e Presidente da Direção da AESS
Formadora, Consultora e Coach em Educação Financeira

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter